Texto: O preço de um cheiro

 

Indicado do 3º ao 6º ano de escolaridade.

 

O preço de um cheiro

 

Um camponês foi à cidade vender seus produtos. Ao regressar, parou em uma pousada para descansar.

— O que deseja? — perguntou o dono, solícito.

— Um pouco de pão e vinho, por favor. Enquanto o dono atendia ao seu pedido, o camponês passou a observar o local. Havia no fogo uma carne que exalava um aroma    irresistível. Ele ficou com vontade de saborear o assado, mas não tinha tanto dinheiro...

Depois de um momento o dono da pousada voltou para trazer-lhe o pão e o vinho. O camponês bebeu o vinho, mas seus olhos não desgrudavam da carne suculenta. De repente, ele teve uma idéia: colocar o pão no vapor que subia do assado, para umedecê-lo. No momento em que ia experimentar o pão, foi interrompido por um grito:

— Você se acha muito esperto, não é? — disse o dono, zangado. — Terá de me pagar por isso também!

— Eu não lhe devo nada além do pão e do vinho — disse o camponês surpreso.

— E o cheiro da carne, não custa? — retrucou o dono, zangado.

— O cheiro da carne? — repetiu o camponês, espantado.

— Mas isso não custa nada!

— Como não custa nada? Tudo o que existe aqui é meu, inclusive o cheiro do assado!

A discussão chamou a tenção de um freguês.

— Quanto você quer pelo cheiro do assado?

— Cinco moedas! — disse o dono, satisfeito.

—Tenha dó! — exclamou o camponês, tirando o dinheiro do bolso. — Isso é tudo que eu ganhei por um dia de trabalho...

O freguês pegou as moedas do camponês e sacudiu-as diante de todos.

— Ouviu isso? Pronto! Já está pago.

— Como assim, já está pago? — admirou-se o dono.

— Por acaso este pobre camponês comeu a carne? Não! Apenas sentiu o cheiro do assado. Para pagar pelo cheiro do assado basta o som moedas!

Diante da risada geral, o dono da pousada ficou sem razão e concordou em não cobrar nada do camponês. E pior: ainda fez papel de bobo!

Conto popular

 

 

1) Assinale a frase que apresenta o mesmo sentido de:
“A carne exalava um aroma irresistível.”
(    )    A carne liberava um cheiro estranho.
(    )    A carne liberava um odor insuportável.
(    )    A carne liberava um odor agradável a que não se podia resistir.

 

2) O    dono da pousada perguntou solícito: “O que deseja?”
Sabendo que solícito significa prestativo, prestimoso, pronto para servir, assinale o tom de voz que ele usou.
(  ) áspero
(    ) rude
(   ) educado
(   ) grosseiro

 

3) Numere os fatos na ordem em que aconteceram.
(    )  O freguês explica que o camponês pode pagar o cheiro com o barulho das moedas.
(    )  O dono da pousada cobra pelo cheiro da carne e o camponês se recusa a pagá-lo.
(    )  O camponês coloca seu pão no vapor que sobe da carne.
(    )  Um freguês ouve a conversa entre os dois homens e sacode as moedas do camponês.
(    )  O camponês sente cheiro de carne assada.

 

4) a) É correto pagarmos pelo cheiro de algum alimento? Justifique.
     b) E pelo aroma de um perfume, quando devemos pagar?

 

5) Com base no texto, faça um comentário sobre a atitude tomada pelo freguês que assistia à discussão do dono da pousada com o camponês

 

6) Escreva ao lado de cada ação a que personagem se refere. 

 

Defendeu o camponês 

Atendeu o camponês 

Chacoalhou as moedas 

Colocou o pão no vapor 

Cobrou pelo cheiro 

Bebeu o vinho 

 

7) Passe o 6º parágrafo para o plural. 

https://www.escolasaopaulo.com.br/pdfs/esp16.pdf

Indicado do 3º ao 6º ano de escolaridade.

 

O preço de um cheiro

 

Um camponês foi à cidade vender seus produtos. Ao regressar, parou em uma pousada para descansar.

— O que deseja? — perguntou o dono, solícito.

— Um pouco de pão e vinho, por favor. Enquanto o dono atendia ao seu pedido, o camponês passou a observar o local. Havia no fogo uma carne que exalava um aroma    irresistível. Ele ficou com vontade de saborear o assado, mas não tinha tanto dinheiro...

Depois de um momento o dono da pousada voltou para trazer-lhe o pão e o vinho. O camponês bebeu o vinho, mas seus olhos não desgrudavam da carne suculenta. De repente, ele teve uma idéia: colocar o pão no vapor que subia do assado, para umedecê-lo. No momento em que ia experimentar o pão, foi interrompido por um grito:

— Você se acha muito esperto, não é? — disse o dono, zangado. — Terá de me pagar por isso também!

— Eu não lhe devo nada além do pão e do vinho — disse o camponês surpreso.

— E o cheiro da carne, não custa? — retrucou o dono, zangado.

— O cheiro da carne? — repetiu o camponês, espantado.

— Mas isso não custa nada!

— Como não custa nada? Tudo o que existe aqui é meu, inclusive o cheiro do assado!

A discussão chamou a tenção de um freguês.

— Quanto você quer pelo cheiro do assado?

— Cinco moedas! — disse o dono, satisfeito.

—Tenha dó! — exclamou o camponês, tirando o dinheiro do bolso. — Isso é tudo que eu ganhei por um dia de trabalho...

O freguês pegou as moedas do camponês e sacudiu-as diante de todos.

— Ouviu isso? Pronto! Já está pago.

— Como assim, já está pago? — admirou-se o dono.

— Por acaso este pobre camponês comeu a carne? Não! Apenas sentiu o cheiro do assado. Para pagar pelo cheiro do assado basta o som moedas!

Diante da risada geral, o dono da pousada ficou sem razão e concordou em não cobrar nada do camponês. E pior: ainda fez papel de bobo!

Conto popular

 

 

1) Assinale a frase que apresenta o mesmo sentido de:
“A carne exalava um aroma irresistível.”
(    )    A carne liberava um cheiro estranho.
(    )    A carne liberava um odor insuportável.
(    )    A carne liberava um odor agradável a que não se podia resistir.

 

2) O    dono da pousada perguntou solícito: “O que deseja?”
Sabendo que solícito significa prestativo, prestimoso, pronto para servir, assinale o tom de voz que ele usou.
(  ) áspero
(    ) rude
(   ) educado
(   ) grosseiro

 

3) Numere os fatos na ordem em que aconteceram.
(    )  O freguês explica que o camponês pode pagar o cheiro com o barulho das moedas.
(    )  O dono da pousada cobra pelo cheiro da carne e o camponês se recusa a pagá-lo.
(    )  O camponês coloca seu pão no vapor que sobe da carne.
(    )  Um freguês ouve a conversa entre os dois homens e sacode as moedas do camponês.
(    )  O camponês sente cheiro de carne assada.

 

4) a) É correto pagarmos pelo cheiro de algum alimento? Justifique.
     b) E pelo aroma de um perfume, quando devemos pagar?

 

5) Com base no texto, faça um comentário sobre a atitude tomada pelo freguês que assistia à discussão do dono da pousada com o camponês

 

6) Escreva ao lado de cada ação a que personagem se refere. 

 

Defendeu o camponês 

Atendeu o camponês 

Chacoalhou as moedas 

Colocou o pão no vapor 

Cobrou pelo cheiro 

Bebeu o vinho 

 

7) Passe o 6º parágrafo para o plural. 

https://www.escolasaopaulo.com.br/pdfs/esp16.pdf