Educação brasileira: Há muito que fazer

19-12-2011 17:58

 

Como país emergente, que vai aos poucos afirmando seu desenvolvimento, desde a estabilidade de sua moeda com o Plano Real, o Brasil sabe do futuro que lhe espera, mas somente com a valorização da Educação é que será possível acordar de vez o “gigante adormecido”, que não poderá mais continuar apenas como uma promessa em berço esplêndido. Para isso, todos os esforços devem ser mobilizados, não apenas dos poderes públicos, mas também de toda a sociedade civil organizada, para que tenhamos um projeto de Brasil à altura de suas potencialidades.

Precisamos promover os professores, dando-lhe condições mais dignas de trabalho, tanto na sua preparação profissional, como nas inúmeras demandas de sua atividade docente, em todos os níveis. Há o desafio de apoiar os professores, elevando-lhes a auto-estima, para que haja uma efetiva valorização social. Só assim é que conseguiremos alcançar o nível de desenvolvimento social que desejamos. Não há outra fórmula.

Em países como o Japão ou mesmos dos chamados tigres asiáticos, houve vontade política dos governantes em investimentos maciços na educação, em todos os aspectos, o que garantiu um salto qualitativo conjuntural, em poucas décadas. Faz-se necessário um projeto de Nação que coloque a Educação como prioridade, e que tenha coragem na implementação de medidas ousadas e eficientes.

Nossos jovens precisam de professores estimulados e com entusiasmo, e que sejam referência intelectual e também moral, para que eles se sintam motivados ao bom aprendizado. Há necessidade de disciplina, metodologias adequadas, orientação, reflexão, e muito mais para que o conhecimento aliado às tantas possibilidades tecnológicas, permita o processo ensino-aprendizagem mais fecundo em resultados que tragam benefícios a todos. Professores bem preparados, alunos motivados, com infra-estrutura adequada, conseguiremos superar os problemas existentes e dotar o Brasil de um sistema educacional capaz de dar boas respostas aos inúmeros desafios atuais.

Tudo isso não acontece do dia para a noite, mas é um processo crescente de trabalho conjunto, em somatória de esforços. O Brasil pode avançar mais. Tem uma população ainda muito jovem e disposta a dar o melhor de si. Por isso, todas as iniciativas visando melhorar a educação em nosso País só podem contribuir para ampliarmos as chances de chegarmos a níveis de prosperidade e justiça social sonhados pelas gerações do passado. Muito podemos (e devemos) fazer, por isso é hora de arregaçarmos as mangas. O século 21 apenas começou. Há muito que fazer. Cada profissional na área do ensino deve procurar fazer bem a sua parte, pois o futuro já chegou.

Professor Dr. Valmor Bolan é Doutor em Sociologia e Presidente da CONAP (Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos - Prouni)